abril 23, 2009

Um Psicopata Pode Estar ao Seu Lado

Atualmente a questão relativa a distúrbios psicológicos tem sido constantemente abordada pelos meios de comunicação e revista pela psiquiatria e psicologia forense, devido ao grande número de casos de violência e fraudes de proporção estarrecedora. Esclarecerei aqui, algumas das hipóteses do porque determinadas pessoas são consideradas psicopatas e como identifica las.
Psicopata é o indivíduo que possui doença mental que afeta o campo das emoções, vulgarmente falando, pode-se dizer que é quem não possui sentimentos, como compaixão e remorso, lembro também que não são loucos e que agem sempre racionalmente e não emotivamente. Enfim, não comovem-se pelo sofrimento alheio. O psiquiatra Sérgio Paulo Rigonatti, do Instituto de Psiquiatria do HC, afirma "eles tratam as pessoas como coisas".
Seguindo este contexto, farei uma análise das características da personalidade e do comportamento dessas pessoas.
Os psicopatas geralmente são pessoas inteligentes, perspicazes, de fala engrandecedora, sabem conquistar e ludibriar facilmente as pessoas, normalmente contando histórias fascinantes e sempre mentindo. Eles não sentem-se culpados mesmo quando cometem um fato criminoso sabendo que este é ilícito, preocupam-se apenas com si mesmos, e como alcançar seus objetivos, agem conforme a máxima de Maquiavel de que “os fins justificam os meios”.
Muitos são capazes de se passar por médicos, advogados, executivos, sem que ninguém note a grande fraude que estão cometendo. Pois são de tamanha esperteza e convicção que podem passar a vida na mesma farsa sem serem abordados. Ficando claro que acreditam que podem fazer o que melhor lhe convir conforme suas vontades e anseios, não importando se isso pode ou não envolver e prejudicar outrem.
Dentre inúmeras definições e divisões referentes a distúrbios psicóticos, pode-se identificar dois principais e com maior interesse jurídico-social.
A primeira é o distúrbio de personalidade anti-social, que tem como padrão lógico o desrespeito aos direitos alheios e a indiferença a regras sociais e legais. Os indivíduos com este transtorno de personalidade costumam ter os primeiros sintomas ainda na infância, podendo agir de formas degradantes e imorais, que vão desde constantes provocações á outras pessoas, como matar animais por diversão, realizar furtos dentre outras contravenções, inclusive colocando a si mesmo em perigo. Tais pessoas além de serem imprudentes, negligentes e irresponsáveis, frequentemente acabam por manipulam e extorquir, visando obter vantagens financeiras, sociais e também por sexo ou poder.
Em contra-partida ao demente que não chega ao ponto de estrondosa violência e atitudes completamente desumanas, temos o psicopata com traços puramente violentos e degradantes.
São frios e calculistas á ponto de culparem suas vítimas pelo dano que lhe causam, afirmando que estas são as responsáveis pelo ocorrido, ou mesmo dizendo que é sina destas passarem pelo sofrimento e desgaste sofrido.
Algumas das principais características são a violência e a impulsividade, dentro desse parâmetro temos que compreender a agressão reativa, como sendo aquela resultante de um impulso, um surto, assim dizendo como resposta a uma provocação.
E temos também a agressão proativa, diferenciada pela conduta essencialmente agressiva. Seria o individuo com tal caracteística o de maior periculosidade para a sociedade, sendo que estes normalmente são assassinos em potencial. No caso do agente proativo, destacam-se os famosos e temidos serial killers, que planejam e executam suas ações à sangue frio. Além disso, é possível uma mesma pessoa possuir os dois elementos, impulsividade e agressividade.
O modo de matar de um psicopata é diferenciado dos demais assassinos pelo seu modo peculiar de realizar o homicídio, que emerge envolto de obsceção, talves loucura e fanatismo, isso varia de acordo com o perfil do criminoso, pois ele deseja mais do que ver a vítima morta, ele precisa vê-la sofrer, para regozijar-se e amaciar seu ego.
Assassinos em série normalmente possuem uma espécie de assinatura, digamos que é um reflexo de sua personalidade, uma forma de identificação caracterizada especificamente por métodos que repete nos seus crimes, como por exemplo, retaliações em lugares específicos. Eles agem dessa maneira, porque vão além da simples tipificação do homicídio, o psicopata necessita ver o sofrimento, que na maioria dos casos está caracterizado por tortura, esquartejamento, incisões post mortem, abusos sexuais, ocultismo, terrorismo entre outros.
Pesquisas e teorias vem sendo realizadas à décadas, para descobrir como e porque uma pessoa se torna um psicopata, dentre elas destacam-se os estudos de Seroczynski, e Blackburn, que indicam diferentes fatores como a genética, o ambiente e o tratamento que os indivíduos denominados como portadores de distúrbios psicológicos são expostos, como maus tratos e abusos durante a infância principalmente nos 36 primeiros meses de vida que influenciam no desenvolvimento de psicopatias.
Blackburn, em um de seus estudos elaborou subtipos de psicopatas, dividindo-os em tipo primário, que possui traços de impulsividade e agressividade, tais indivíduos costumam ser desinibidos e autoconfiantes, buscando sempre emoções avassaladoras, de índole sexual ou não, e por serem mais racionais e menos impulsivos, costumam cometer crimes mais graves como os dolosos contra a vida. E no tipo secundário, enquadram-se os mais solitários, mau-humorados e com baixa auto-estima, estes tendem a cometer o roubo.

*Caros leitores, espero que estas informações venham a ser úteis, alertando-os quanto aos psicopatas, que acredito serem muitos e estarem espalhados ao nosso redor, infiltrados nas mais diferentes áreas, desde o próprio crime, quanto na política. Cuidem-se.

2 comentários:

  1. Andriele Steidel8 de maio de 2009 12:33

    Oi parente!
    Você escreve muito bem... parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada parente! os Steidel´s... são bons mesmo! hehe

    ResponderExcluir